Nono dia da novena

.:. Meditação para o nono dia da novena:

Glorificação de Santa Rita

Morta no dia 22 de maio de 1457, seus funerais tiveram lugar, provavelmente, no dia 24. Já no dia 25 desencadeou-se uma verdadeira onda de milagres. Até o dia 18 de junho contam-se onze milagres devidamente comprovados. É interessante observar que Santa Rita, por um privilégio singular, nunca foi enterrada.
 
Depois de sua morte, a Santa foi colocada numa caixa de cipreste ou nogueira. Esta caixa, colocada sob o altar do mosteiro foi danificada por um incêndio, alguns anos depois, permanecendo seu corpo inteiramente intacto.
 
Este mesmo corpo está conservado até nossos dias. Todos podem vê-lo em Cássia, colocado numa magnífica caixa nova no centro da capela dedicada à Santa, no Santuário construído a partir do ano de 1937. Atualmente o rosto parece algo mumificado e amorenado, mas intacto e bem conservado.
 

Rita foi beatificada em 1628 e a canonização foi realizada no dia de Pentecostes do ano santo de 1900. Quando a Igreja elevou Santa Rita às honras dos altares, depois de um longo e minucioso processo e após a manifestação de inúmeros milagres, apresentou esta humilde freira agostiniana como exemplo a ser imitado por todos nós em qualquer estado ou condição de vida.
 

Chega a ser um o fenômeno digno de estudo o caso da veneração que o povo brasileiro tem por Santa Rita. É imenso o número de Igrejas e capelas que delicadas ao culto de Deus, sob a proteção da Santa. É grande, também, o número de cidades, arraiais e lugarejos com o nome de Santa Rita.
 
Fazendas, bairros, usinas, lojas, farmácias e indústrias, com o nome da Santa, multiplicam-se por todo o Brasil.