Oitavo dia da Novena

.:. Meditação para o oitavo dia da novena:

Morte de Santa Rita

Toda a vida de Rita, passando pelos estágios mais diferenciados e difíceis, é uma constante caminhada rumo à pátria celeste. Sua verdadeira e última doença começa realmente em 1453 e vai até a sua morte, quatro anos depois. Toda a vida humana é uma caminhada.

 

A própria Igreja chama-se peregrina, e o povo de Deus vai peregrinando pelos caminhos do mundo, para chegar um dia à mansão do Pai.


Santa Rita morre no dia 22 de maio de 1457, aos setenta e seis anos de idade. A partir de sua morte, começa a crescer a fama de sua santidade; e o humilde convento de Cássia vai recebendo grupos e mais grupos de gente, para os funerais. A fama dos milagres de Santa Rita espalha-se rapidamente. O nome da Santa fica para sempre ligado à intervenção nos casos difíceis.

 

Para nós, o que tem sentido, mais que fatos extraordinários acontecidos na sua morte, é sua vida inteira. Uma vida vivida em muitos caminhos, mas sempre orientada para Deus. Uma vida que teve momentos fortes de dor, de ansiedade, de ternura, de dúvidas, de fracassos e vitórias, de tristezas e alegrias, como nossas vidas.

 

Santa Rita foi uma criatura humana que percorreu tão diferentes caminhos, deixando, em cada um deles, um exemplo para nós.