Filosofia

00capelinha introSeminário e Paróquia

Nossa Senhora Aparecida (Capelinha)

A Casa de Formação filosófica da Província Santa Rita de Cássia está localizada em Franca (SP).
Conhecida carinhosamente como Capelinha, a comunidade é formada por frades agostinianos recoletos e estudantes que se preparam para a vida agostiniana recoleta.

 

 

A história da Capelinha

01capelinhaQuando tudo começouCom menos de dez anos de atuação em Franca os frades Agostinianos Recoletos já marcavam presença não só na cidade mas também na região com um trabalho pastoral digno de todo louvor e várias realizações no aspecto material. Destaca-se principalmente a continuação das obras da igreja matriz e a fundação do semanário O Aviso de Franca.

Em 1925 os frades entregaram-se à preocupação de consolidar sua presença na cidade com a inauguração da igreja de Nossa Senhora Aparecida no bairro Aparecida, popularmente conhecido como Capelinha. No ano seguinte iniciou-se a construção de um Seminário ao lado da referida igreja.

02capelinhaCom a chegada dos primeiros moradores do seminário, os alunos do curso de Teologia de Ribeirão Preto e o primeiro superior Fr. Casto Delgado, instalou-se a primeira comunidade aos 26 de setembro de 1927. A alma dessas realizações foi o sempre lembrado e dinâmico religioso, então pároco de Franca, Fr. Gregório Gil.

Formação de seminaristas brasileiros

03capelinhaA primeira tentativa no sentido de formar religiosos brasileiros partiu do padre Fr. Gregório Gil com a construção do Seminário de Franca. O então chamado Colégio Apostólico chegou a ser criado pelo governo provincial em 1929 e funcionaria em dependências construídas para essa finalidade no mesmo Seminário. 
Motivos que a história não registra impediram sua concretização.

Em abril de 1931 realizou-se o velho sonho da Ordem. Começou nesta data o funcionamento do Colégio Apostólico São José em Ribeirão Preto nas dependências da residência da comunidade, adaptadas para a finalidade. A iniciativa partiu do dinâmico padre Fr. Serapio Rodríguez, superior que iniciou o trabalho formativo com a colaboração dos padres Fr. José Gonzáles, Fr. Pedro Alvarez e Fr. Casto Santos.

Seminário e paróquia Nossa Senhora Aparecida

04capelinhaO seminário veio substituir a casa de Ribeirão Preto em sua finalidade formativa.


Evolução e finalidadeNo período de 1927 a 1934 os alunos eram do curso teológico, mas em 1931 um grupo de noviços vindos da Espanha cumpriu, na Capelinha, parte do noviciado. Essa etapa da formação do noviciado teve seu início oficial em 1933 quando recebeu os primeiros alunos procedentes de Ribeirão Preto.

A profissão religiosa dos mesmos motivou a criação do curso filosófico em 1935. Passou então a se responsabilizar pela formação completas dos candidatos (noviciado, filosofia e teologia). No final de 1960 deixou de sediar os estudos teológicos.

05capelinhaA crise vocacional da década de 1960 obrigou o Seminário a encerrar a atividade formativa no final de 1967, recomeçando dois anos depois com a matrícula de candidatos no 2º. grau procedentes de Ribeirão Preto (SP) e Castelo (ES). Com os remanescentes dos diversos grupos, de 1973 a 1978, formaram-se quatro turmas de noviços e, após a profissão, de alunos do curso filosófico. Finalmente, o Capítulo provincial de 1979 definiu a finalidade da casa como centro de estudos filosóficos pré-noviciado.

Vida e atividadeA vida interna do Seminário está acomodada à sua finalidade no que diz respeito à oração, estudos, trabalho e recreação. O curso filosófico completo é ministrado em três anos ou seis semestres; seu quadro de matrículas compõe-se de seminaristas agostinianos recoletos da Província Santa Rita de Cássia, de religiosos franciscanos e cistercienses, e de leigos.

06capelinhaAspecto físicoA igreja, inaugurada em 1925, foi ampliada a partir do presbitério no período de 1956 a 1965, quando foi construída a cúpula. Seu estilo é gótico e está dividido em três naves com dois amplos braços no cruzeiro. O prédio do Seminário, no lado esquerdo, inaugurado em 1927, teve sua capacidade aumentada com a construção do pavilhão do lado direito inaugurado em 1949, ano do cinqüentenário da chegada dos primeiros religiosos ao Brasil.

Duas outras construções fecham o adro nos seus lados: a da esquerda foi construída para a tipografia. Com o posterior encerramento das atividades da Editora Santa Rita, parte do prédio está alugada para uma gráfica e o restante é ocupada pelas instalações da revista Mensageiro de Santa Rita; a da direita é um sobrado que destinado a salas de aula e reuniões no andar superior, e um auditório, no térreo.

07capelinhaO Salão Nossa Senhora Aparecida, em uma quadra vizinha a do Seminário, é um conjunto que consta de um amplo galpão para festas e grandes reuniões, com mais de 1.000 metros quadrados e várias salas de aula. Adjacente ao salão há um terreno asfaltado para a realização de quermesses e outras promoções.

O patrimônio do Seminário está situado num terreno com aproximadamente 20.000 metros quadrados. O que não está ocupado por prédios destina-se à horta e ao pomar, de um lado, e o local de lazer com campos de esporte, de outro.


08capelinhaParóquia Nossa Senhora Aparecida
A igreja conventual foi elevada à categoria de matriz paroquial aos 25 de maio de 1968 por um decreto assinado pelo arcebispo de Ribeirão Preto Dom Felício da Cunha Vasconcelos. O primeiro pároco, Fr. Esteban Montes, foi empossado no dia 2 de junho do mesmo ano.

A paróquia está estruturada na base de serviços ou pastorais tanto na matriz como nas capelas. A pastoral, no seu conjunto, é coordenada pelo Conselho Paroquial de Pastoral e sua vida econômica é supervisionada pelo Conselho Administrativo Paroquial.

10capelinhaDado o crescimento dos bairros já existentes quando de sua criação e o surgimento de novos, foi preocupação constante da paróquia a formação de comunidades e a construção de capelas. Na periferia já se formaram doze comunidades e na zona rural, três. Todas as comunidades dispõem de capelas e de salas para a catequese e reuniões.

Com a existência das comunidades veio uma descentralização do serviço religioso, pois cada uma tem organizada sua pastoral e, em geral, seus cursos de formação. Em cada uma existe um conselho presidido por um coordenador e há um conselho de todas as comunidades que coordena a vida de todas elas, motivando a unidade dentro do pluralismo.

11capelinhaFormação da Paróquia Sagrado Coração de Jesus: em setembro de 2010 6 comunidades (Capelas) da Paróquia Nossa Senhora Aparecida foram destinada para formar a área pastoral quase paróquia Sagrado Coração de Jesus. Uma dessas comunidade é rural e as outras 5, urbanas. Em 2011 a área pastoral tornou-se Paróquia.


A Capelinha em 2012

12capelinhaOs estudantes vocacionadosO ano letivo de 2012 iniciou-se com uma comunidade de seminaristas provenientes de diversas cidades dos seguintes Estados:
• Espírito Santo
• Minas Gerais
• São Paulo

No final e 2011 o vocacionado Fabrício foi aprovado para o noviciado, que atualmente é realizado na Colômbia com nossos irmãos agostinanos recoletos da Província Nossa Senhora da Candelária.

13capelinhaA equipe formativaO Seminário Nossa Senhora Aparecida conta com uma equipe de formadores, sendo uma das realidades da formação a orientação espiritual. A orientação espiritual é uma necessidade em qualquer estapa da formação. Na formação inicial, a necessidade é mais acentuada.

Organização formativaInstituto Agostiniano de Filosofia (IAF) funciona no prédio anexo ao seminário e atende também estudantes de outras congregações e da diocese de Franca, bem como leigos e leigas.

Nos últimos anos o IAF tem contado, entre seus estudantes, com postulantes agostinianos recoletos, seminaristas diocesanos das Dioceses de Franca e Jaboticabal, monges cistercienses, vocacionados franciscanos e leigos.

14capelinhaO IAF tem um total de 13 professores, frades e leigos. As aulas são administradas no período da manhã, de segunda a sábado, exceto às quintas-feiras quando não há aulas. Por iniciativa de alguns formadores e professores do instituto, criou-se a Sexta Filosófica. Trata-se de uma reunião mensal durante uma sexta-feira à noite, com o objetivo de ser um momento de encontro e debate em torno de um tema filosófico previamente escolhido. O intuito é despertar o interesse e o gosto pela filosofia.

Participam das Sextas não só os estudantes pois o evento é aberto a outras pessoas. O local é sempre variado ficando a critério dos participantes. Desde o reativamento do Centro Acadêmico Frei Santa Rita Durão, em 2004, o mesmo se encarregou da organização das Sextas Filosóficas.

15capelinhaA revista Arché, que o Centro Acadêmico lançou no final de 2005, tem por propósito publicar artidos e trabalhos dos alunos, professores e outros colaboradores.

Seminário Nossa Senhora Aparecida: aí residem os estudantes da Província Santa Rita de Cássia e os religiosos formadores. Normalmente, ao término do curso, os seminaristas seguem para o noviciado.

Aulas formativas: elas acontecem uma vez por semana com a participação de todos os seminaristas. Os temas abordados para os formandos do primeiro ano são: orientações de boa conduta, princípios de oratória, temas vocacionais e formação humana em geral; os que estão no segundo e terceiro anos recebem formação principalmente na área psico-afetiva, humana e agostiniana em geral.

16capelinhaFormação religiosa (aulas de cultura religiosa): são internas e semanais. São os próprios frades agostinianos recoletos, residentes ou não na Capelinha, que colaboram na administração das disciplinas. O primeiro ano estuda Doutrina Cristã (segundo o Catecismo da Igreja Católica), o segundo ano Iniciação à Sagrada Escritura e o terceiro História e Teologia da Vida Religiosa (introdução à Vida Consagrada).

Formação personalizada: São realizadas entrevistas com cada um dos seminaristas que fazem uma auto-avaliação, tendo como base o Regimento Interno. São avaliados os seguintes aspectos: dimensão física e esportiva, intelectual, comunitária e social, espiritual, vocacional, afetiva e sexual, familiar, pastoral, lazer, trabalho comunitário, silêncio e cumprimento do regimento interno.

17capelinhaAcompanhamento psicológico: Todos os seminaristas recebem acompanhamento psicológico com profissionais, segundo a necessidade de cada um e orientação dos formadores. Os psicólogos que realizam acompanhamento ou terapia com os seminaristas são todos competentes, de formação e vivência cristã.

Postulinter: Os seminaristas dos terceiro ano participam do Postulinter, um encontro de postulantes intercongregacional realizado pela Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB) e eles se reúnem duas vezes ao ano. O Postulinter oferece a oportunidade de um melhor auto-conhecimento, o conhecimento da real opção vocacional com o carisma da congregação ou ordem que pretendem seguir.

18capelinhaLiturgia: No seminário são realizadas Celebrações Litúrgicas diárias para os seminaristas, devidamente praparadas pela equipe de liturgia dos mesmos. Todas quinta-feira (hora santa vocacional) e todo primeiro sábado do mês (missa vocaiconal) todos participam com o povo na Paróquia. A Liturgia das Horas é celebrada diariamente.

Retiro mensal: uma vez por mês um grupo de seminaristas prepara o retiro para todos, ficando o mesmo a critério da equipe e segundo sua criatividade.

19capelinhaPasseio: periodicamente o grupo de seminaristas realiza um passeio, geralmente em alguma chácara próxima de Franca, gentilmente cedida por amigos e conhecidos.
Lazer e esporte: o seminário dispõe de uma boa área para recreação dos seminaristas, com sala de TV ampla, sala de leitura e música, sala de jogos e uma área aberta e coberta, com mesa de ping-pong, mesas e assentos para outros jogos de mesa e "bate-papo"; uma cozinha para o lanche noturno; uma área esportiva com campo de futebol, quadras de pelota e futebol de salão/vôlei/basquete. O esporte e a participação na recreação são obrigatórios.

20capelinhaPastoral: os alumos do primeiro ano são aconselhados a não se envolver inicialmente em nenhum trabalho pastoral, podendo participar de alguma atividade a partir do segundo semestre. Dos demais seminaristas, cobra-se uma atividade pastoral, a não ser que algum motivo considerado sério o impeça. A particiipação é apenas de presença e apoio aos trabalhos paroquiais. Em geral se envolvem com a Equipe de Liturgia, Crisma, Grupo de Jovens e Pastoral Vocacional.

Outras atividades: todo ano, com muita criatividade, alegria e descontração, os seminaristas realizam:

21capelinha• o Sarau de Santa Rita (shows, teatros, danças, poesias, músicas, etc),
• a Festa Junina (conforme a tradição brasileira).
• a Semana Agostiniana e Sarau Agostiniano (shows, teatros, danças, poesias, músicas, etc),
• os Sábados Internos (quinzenais, à noite): uma equipe própria se encarrega de preparar brincadeiras, atividades lúdicas, recreativas e educativas,
• os Passeios Livres: alternando com os sábados internos, os seminaristas estão livres para passear pela cidade.

22capelinhaCostuma-se comemorar liturgicamente as festas e memórias dos Santos da Ordem bem como os aniversários dos frades e seminaristas.

No refeitório são lidos livros da Sagrada Escritura, trechos da Regra de Nosso Pai Santo Agostinho e a Vida do Santo do Dia, documentos da Ordem e da Igreja durante o início das refeições.

O grupo de apoio dos amigos do seminário foi criado com a colaboração de 5 senhoras benfeitoras. O nome do grupo é Amgios do Seminário. São cerca de 45 pessoas que mensalmente colaboram financeiramente com o seminário e se compromentem também a rezar pelas vocações. Eles também são convidados a participar das Celebrações Litúrgicas às quintas-feiras que, além de outras intenções, é dedicada a eles.

23capelinhaServiço de Animação Vocacional: a equipe é formada por um responsável à frente e a colaboração de outros membros que já trabalham há alguns anos no SAV. Eles atuam segundo as orientações do Plano Provincial e Paroquial.

 

 

24capelinha