5 de outubro: Dia de Lábrea

5out00 200Outubro, mês missionário
Dia 5 de outubro – dia de Lábrea


Território de missões, Lábrea se torna campo fértil para a evangelização por causa dos missionários e missionárias que se doam pela causa do Reino nos lugares mais desafiadores. Você também pode ajudar, com orações e doação.

Na sessão do conselho provincial da Província Santa Rita de Cássia do dia 10 de setembro de 2014 realizada no Seminário Teológico Santa Mônica em São Paulo, SP, o Prior Provincial frei Nicolás e seu Conselho Provincial recordaram da importância de celebrar em todas as comunidades o DIA DAS MISSÕES (Lábrea-AM) nos dias 4 e 5 de outubro de 2014. 

Você também pode fazer sua doação em benefício da Prelazia de Lábrea-AM, a ser depositada na seguinte conta:

Titular: AARBE - Associação Agostiniana Recoleta de Beneficência e Educação
SABE: Sociedade Agostiniana de Beneficência e Educação

Banco Santander

Agência: 3269

Conta Poupança: 010107-5

No final do mês missionário os valores arrecadados serão entregues diretamente aos responsáveis da Prelazia. 

regiaodelabrea 550

Lábrea é um município do estado do Amazonas

(veja o número 2 no mapa);

Lábrea é também o nome da prelazia

(área) que engloba 4 municípios:

O de Lábrea mesmo e os de Pauiní, Canutama e Tapauá

(veja acima)


 13 fotos sobre a prelazia de Lábrea

regiaodelabrea 300 .....

Outubro, mês missionário
Dia 5 de outubro – dia de Lábrea

 

Para a celebração do DIA DE LÁBREA - 5 DE OUTUBRO - frei Nicolás, prior provincial, preparou uma série de fotos para formar um painel e ajudar na divulgação do trabalho missionário dos frades agostinianos recoletos, padres e leigos na região sul do Estado do Amazonas.

 

A série de 13 fotos está organizada em quatro blocos. Confira a seguir:

 Lábrea é um município do estado do Amazonas (veja o número 2 no mapa); 

Lábrea é também o nome da prelazia (área) que engloba 4 municípios: 

O de Lábrea mesmo e os de Pauiní, Canutama e Tapauá (veja acima)

 

Primeiro Bloco:

refere-se aos Centros esperança

que existem na prelazia que são três,

nas cidades de Pauini, Tapauá e Lábrea.

 labreaD01
Centro esperança:

Grupo geral de jovens que são acolhidos

no centro esperança de Lábrea

labreaD02
Centro esperança de Lábrea:

trabalho na marcenaria

labreaD03
Centro esperança Lábrea:

Grupo de aulas de violão

Segundo bloco:

refere-se ao Projeto Laguna Negra,

encampado pela arquidiocese de Vitoria.

É um projeto de Evangelização das comunidades ribeirinhas

com forte acento no atendimento médio, dentário, etc...,

realizado de barco por alguns voluntários da

Renovação Carismática Católica da arquidiocese.

labreaD04
Laguna negra:

visão panorâmica do barco onde se fazem os atendimentos

labreaD05
Laguna negra:

voluntária do projeto atendendo uma idosa em casa

labreaD06

Laguna negra:

voluntárias do projeto atendendo no consultório dentário

montado dentro do barco

 

 

Terceiro bloco:

recolhemos alguns aspectos da evangelização na Prelazia

(infelizmente no momento não dispomos de outras fotos

a não ser de algumas celebrações sacramentais)

labreaD07
Pastoral sacramental:

momentos antes da celebração eucarística

labreaD08
Pastoral sacramental:

Frei João Cruz celebrando um batismo

labreaD09
Pastoral sacramental:

Frei Gustavo durante a celebração eucarística

labreaD10

Pastoral sacramental:

celebração penitencial ao ar livre

 

Quarto bloco:

refere-se ao Projeto Terra solidária;

projeto que visa a construção de pequenas casas de madeira

para as famílias mais carentes.

Neste projeto tem contribuído nossa paróquia

Santa Rita de Cássia de Vitória.

labreaD11
Projeto Terra solidária:

Dom Jesus Moraza, bispo da prelazia de Lábrea

na frente da placa do projeto

labreaD12
Projeto Terra solidária:

visão panorâmica de algumas casas do projeto

labreaD13
Projeto Terra solidária:

interior de uma das casas do projeto

 

Fotos e texto: Frei Nicolás
Edição: Frei Mason

 

 Prelazia de Lábrea: território de missão

labreaC00 200Outubro, mês missionário
Dia 5 de outubro – dia de Lábrea

A extensão territorial da Prelazia de Lábrea, criada em 1 de maio de 1925, é aproximadamente o tamanho do estado de São Paulo e o meio de transporte é fluvial. Tem muita coisa interessante a respeito de Lábrea.

PRELAZIA DE LÁBREA

A Prelazia de Lábrea foi criada no dia 1 de maio de 1925 pela Bula “Imperscrutabili Dei Concilio” do Papa Pio XI, com território desmembrado integralmente da então Diocese de Amazonas (Hoje Arquidiocese de Manaus).

labreaC03 320 ..........

Desde o inicio a Santa Sé confiou os cuidados à Ordem dos Agostinianos Recoletos.

 

 

 

1º Administrador Apostólico (não era bispo) foi o padre frei Marcelo Calvo-OAR (1926-1930).

 

 

 

O terceiro e atural prelado é o bispo Dom Jesus Moraza Ruiz de Azúa-OAR (1994 ......).

 
 
 
 

<  Dom Jesus Moraza, oar  
    Bispo prelado de Lábrea-AM

 

Localização Geografica


Centro-sul ocidental do Estado do Amazonas.

Limites: Arquidiocese de Porto Velho (RO); Diocese de Humaitá (AM); Diocese de Rio Branco (AC-AM); Diocese de Cruzeiro do Sul (AC-AM); Prelazia de Tefé (AM); Prelazia de Coari (AM); Prelazia de Borba (AM).

Confira estes dados: 

labreaC01 650

labreaC02 500

 

Meios de Transportes


Como as únicas estradas são os rios, o meio de transporte mais barato é o barco, mas como as distâncias são tão grandes e os barcos são geralmente lentos, as viagens se tornam muito demoradas: de Manaus até Tapauá são 3 dias, até Canutama são mais 2 dias, até Lábrea mais 1 dia e até Pauini mais 4 ou 5 dias, sempre com suas noites respectivas.

Atualmente todas as cidades dispõe de um pequeno aeroporto, mas somente Lábrea tem uma linha regular com Manaus (duas horas de viagem) e Porto Velho (meia hora), As demais cidades apenas eventualmente têm algum vôo de avionete, coisa que resulta cara.

 

Missionários 

 

labreaC04 300

Atualmente (outubro de 2014)

a Província Santa Rita de Cássia

tem dois frades trabalhando em Lábrea:

frei Geraldo (segundo na foto,

da esquerda para a direita) e

frei Gustavo (extrema direita na foto)

..........

A Província de São Nicolau de Tolentino se encarrega diretamente da missão de Lábrea (Amazonas, Brasil) no ano 1979, uma vez que a Província de Santa Rita teve que deixar aquele campo missionário, por falta de pessoal.

 

 

Lábrea e a Ordem de Agostinianos Recoletos estão firmemente unidas desde 1925, e são três as Províncias da Ordem dos Agostinianos Recoletos, as que têm construído com esforço e determinação a Igreja labrense: Santo Tomás de Vilanova, Santa Rita e São Nicolau de Tolentino.

 

 

Províncias como Nossa Senhora da Consolação e Santo Agostinho também tiveram religiosos naquela missão, ao longo da história. Nos últimos anos tem aumentado o número de frades da Província Santa Rita que trabalham nas missões em Lábrea. 

 

Desde setembro de 2014 a Província Santa Rita de Cássia  passou a ter dois frades trabalhando em Lábrea: o diácono frei Geraldo e o sacerdote frei Gustavo, que estará em Lábrea até o final de 2014.


Ser missionário é doar a vida - De uma forma ou outra todos(as) os(as) Missionárias(as) doaram parte da sua vida pelo povo da Prelazia, mas tem alguns nomes que merecem destaque pela sua entrega total, são eles:


- Monsenhor Inacio Martínez, morto durante uma viagem pastoral pelo Purus a consequência de umas febres malignas (febre negra?, malária?, hepatite?);
 

- Padre frei Jesus Pardo, morto à beira do Purus salvando algumas crianças que estavam afogando-se; 

- Padre frei Mario Sabino, afogado nas águas do Purus quando viajava para sua paróquia de Pauini; e a  

- Irmã Cleusa (capixaba), assassinada por defender os direitos indígenas da região amazônica.

labreaC05 650


Prioridades da Prelazia:
 Pastoral Familiar; Formação dos Leigos; Atenção especial à criança e ao Adolescente (Pastoral Da Criança e do Menor)

Aspectos Humanos

 

testemunho00 200< a Igreja traz o Rosto de Deus ao Rosto Sofrido da população local

A maior parte da população é mestiça (mescla de branco, índio e negro). Os missionários do CIMI da Prelazia conseguiram fazer um censo de uns 5.000 índios de onze nacionalidades diferentes, sendo que alguns deles são de pouco ou nenhum contato (Zuruahá e Maemã ). Os índios mais numerosos são os apurinãs e paumarís.

Economia da região: a economia da nossa região se baseava no extrativismo, principalmente da borracha, sorva, castanha, madeira, alguns óleos (copaíba, pau rosa, etc...) e a pesca. 

Com a queda do preço da borracha, no final dos anos 80, a situação do povo se agravou; aumentou o êxodo rural e inchou as cidades, que carecem de infraestrutura adequada para uma acolhida digna.

O povo nas cidades vive quase exclusivamente do funcionalismo público (funcionários municipais, estaduais e federais ), do comércio, da pesca e de um pouco de agricultura... Tem umas poucas serrarias, carpintarias, mercearias e algumas olarias.

Atualmente a situação de uma grande parte da população é de miséria, raiando o extremo; situação que se agravou com as medidas dos governos municipais enxugando o quadro de funcionários (só em Lábrea foram demitidos mais de 400 colaboradores). 

 

Saúde

É uma das áreas de maior carência na nossa região. Apenas as cidades de Lábrea, Canutama, Pauiní e Tapauá dispõem de um pequeno hospital com algum médico e muitas vezes sem medicamentos. Doenças como a malária, a hanseníase, a hepatite, as verminoses, as infecções intestinais e as doenças venéreas fazem verdadeiros estragos. A mortalidade infantil é muito grande.  

Em Que Poderia Ajudar a Igreja Irmã? 

A Prelazia de Lábrea é Irmã da Arquidiocese de Vitória. Igreja Irmã é o conceito que une uma igreja independente e uma necessitada que unem esforços e caminham juntas, a independente colaborando diretamente com recursos para a igreja mais necessitada.

labreaC06 650

A Prelazia se mantém exclusivamente com ajudas externas, tanto do Brasil – Arquidiocese de Vitória e outras - como do exterior. Lábrea carece de uma estrutura que possa garantir sua autonomia. Por isso precisam também de ajuda econômica.

Em todas as áreas existem carências, mas vale destacar as áreas em que toca mais de perto atuar pela urgência da necessidade dramática do povo. Na área da saúde Joice Terezinha iniciou um bonito trabalho de prevenção e tratamento com medicina natural. A ideia era evitar tanta dependência dos remédios de farmácia, que além de ser caros e de difícil acesso para a maioria, tem muitos efeitos secundários... Nesta área se precisaria de um pouco mais de acompanhamento até sedimentar-se bem as bases com os agentes multiplicadores. O interior também enfrenta dificuldades. Que bom seria se pudéssemos oferecer um atendimento médico pelo interior.

Cada vez mais somos impelidos a atender questões relacionadas com a justiça, bem seja pela corrupção policial, como pela depravação moral (abuso sexual de menores e abandono de filhos), como pela prepotência dos mais fortes em prejuízo dos menos favorecidos. Bom seria uma assessoria jurídica para todo tipo de questões relacionados com justiça na Prelazia.

 

testemunho04 650

Missionário estrangeiro presidindo a Santa Missa em Lábrea

Uma preocupação cada vez maior é a de preparar o clero nativo. Até agora todos os padres são de fora, assim como os(as) demais missionários(as) (estrangeiros ou do sul/sudeste do Brasil). Já existe o seminário diocesano em Lábrea que acompanha e prepara os vocacionados para o ministério de missões. É preciso intensificar a pastoral vocacional e acompanhar mais de perto os vocacionados, principalmente o clero diocesano.  

 

PRELAZIA DE LÁBREA

 

E ARQUIDIOCESE DE VITÓRIA

Na sinagoga de Nazaré, Jesus apresentou sua missão como Proclamação de um Jubileu de Vida e Libertação para todos. Agora, mais que em outras épocas de sua história, a Amazônia necessita urgentemente da proclamação de um Jubileu que seja um novo tempo de justiça e signifique:

 

A libertação da terra e das águas

 

O direito à cidadania das populações da região

 

E o resgate das dívidas sociais para que haja vida e justiça para todos.

A Igreja tem rosto amazônico! A Igreja se faz carne e arma sua tenda na Amazônia. O que assume jamais vai deixar!

"Nesta floresta tropical, no meio dos espaços naturais mais apreciados no mundo e vitais para o equilíbrio ambiental de todo o planeta". (J. Paulo II), encontra-se a Prelazia de Lábrea, Irmã da Arquidiocese de Vitória.

testemunho01 650

Voluntários da Arquidiocese de Vitória em Lábrea

 

A Igreja de Lábrea

O eixo deste território de missão é o rio Purus, rio que nasce na cordilheira andina, percorre mais de 2,700 km dentro da Prelazia de Lábrea para desembocar no Solimões.

A vida da Prelazia e toda sua história se desenvolvem às margens deste rio caudaloso.

Os primeiros europeus a viajar pelas águas do Purus falam de fartura de frutas, peixes, caças, tartarugas, mandioca e de muitas nações de línguas diferentes.

O que um dia foi a casa e a terra dos povos indígenas tornou-se, com a passagem dos séculos, a migração e invasão de estranhos, um lugar povoado por uma mistura de índio, negro e branco. 

A descoberta de caucho em abundância mudou para sempre o rosto Amazônico e principalmente a calha Purus. 

A freguesia de Lábrea foi fundada em 1878 para controlar e agilizar o lucrativo comércio da borracha. De centos de seringais estabelecidos ao longo do Purus e seus afluentes chegava esta borracha que depois seria enviado a Manaus e de lá para o exterior.

Em 1897 foi a vez da freguesia de Canutama.

Para atender esta população de milhares de seringueiros vindos do nordeste se fundou a Paróquia de N. Sra. De Nazaré em Lábrea e a de São João Batista em Canutama. Um Padre trabalhou esta imensidão de floresta e rios durante trinta anos O Padre Francisco Leite, verdadeiro apóstolo do Purus, até seu retorno ao Ceará em 1908 batizou 23, 143 pessoas e fez 4, 174 casamentos.

labreaC09 650

A Arquidiocese de Vitória assumiu esta Igreja de Missão, a Prelazia de Lábrea nos anos 70.

Com o barco Laguna Negra, doação de voluntários da Renovação Carismática Católica

da arquidiocese, o projeto de Evangelização das comunidades ribeirinhas conta agora

com forte acento no atendimento médico, dentário, etc...

Em 1949 se fundou a Paróquia Sto. Agostinho de Pauini e a de Santa Rita de Cássia, Tapauá em 1967.

A partir dos anos 1925 os Agostinianos assumiram a Missão de Lábrea percorrendo seus rios, seus seringais, construindo escolas, postos de saúde, serrarias, olarias, até pistas de pouso para pequenos aviões. Incentivaram a agricultura e na proclamação do evangelho e a celebração dos sacramentos começaram a colocar os alicerces duma igreja local.

Foram, como os seringueiros, verdadeiros desbravadores do estado do Amazonas, gastando e doando sua vida junto ao povo esquecido e massacrado do Purus.

A Igreja se faz carne e arma sua tenda na Amazônia e nunca mais pode deixar de ter rosto amazônico. Lábrea é uma joia na coroa que a Igreja de Amazonas oferece para o seu Senhor.

ROSTO ÍNDIO: Por vezes massacrado, pisado, roubado dos direitos ancestrais de sua terra, eles são vítimas também de doenças trazidos por estranhos que poluem seus rios e suas vidas; assassinados em nome da cobiça do homem branco.

ROSTO SERINGUEIRO: trazidos para as margens do rio Purus para enricar os donos dos seringais. Conta-se que os seringalistas que viviam em Manaus enviavam sua roupa para ser lavada em Paris. Entretanto os seringueiros algemados ao trabalho escravo exigido pelo sistema de aviamento deixavam seus ossos no meio do mato ou no fundo das águas. 

ROSTO EXTRATIVISTA: hoje o habitante do Purus pesca, coleta castanha, corta madeira. Vende o fruto de seu trabalho aos regatões por preços irrisórios. Não cabe outra alternativa.

 

Como se organiza a Igreja de Lábrea?

A partir do ano 1975 se deu um impulso à evangelização com a implantação das CEBs. Contamos hoje com 186 CEBs no interior e nas sedes das paróquias. Deixar a Palavra de Deus no meio do Povo tem sido a nossa maior preocupação no obstante as distâncias e dificuldades de comunicação. O Purus tem 2,700km e os seus afluentes outros tantos quilômetros. Agora duas equipes volantes assumem o trabalho de treinamento dos dirigentes do interior possibilitando uma presença e maior acompanhamento.

Duas equipes do CIMI acompanham a Pastoral Indigenista entre os Apuriná, os Deni, os Zuruahá e os Paumeri. 

É urgente a formação intensiva dos leigos e leigas cristãos em resposta as necessidades da Amazônia toda e de Lábrea em particular. Assim ficou estabelecida o mês de janeiro para formação dos leigos a nível da Prelazia com participação das 4 paróquias (uns 50 leigos e leigas). 

A Pastoral da Criança ampliou sua ação formando mais agentes e atingindo mais crianças e famílias. Há 316 agentes que atendem a 3.389 crianças na Prelazia. 

A atenção ao menor em risco deu início ao CENTRO ESPERANÇA UM em Lábrea e CENTRO ESPERANÇA DOIS em Tapauá. Atendem 263 menores de 12 a 18 anos.

labreaC08 650
Frei Gustavo em um dos Centro Esperança

A Pastoral Familiar, a PJ, a Infância Missionária, a CPT com suas Associações de Pescadores, de Moradores, de Agricultores, os ministérios são todo sinais de uma Igreja a caminho. 

Ainda precisamos de recursos humanos e financeiros das Igrejas além das fronteiras da Prelazia de Lábrea. 

Vitória assumiu esta Igreja de Missão, a Prelazia de Lábrea nos anos 70. Agradecemos o que Vitória proporcionou durante esses anos e queremos estreitar ainda mais os laços que nos unem. Hoje precisamos de sua ajuda. 

No dia 07 de julho de 2014 foram recebidos por nosso bispo Dom Jesus Moraza-oar, no aeroporto da cidade, a equipe de missionários vindos de Vitória-ES que realizaram trabalhos médico e odontológico nas comunidades ribeirinhas.

labreaC07 650

Dom Jesus Moraza-oar com a equipe de missionários vindos de Vitória-ES

que realizaram trabalhos médico e odontológico nas comunidades ribeirinhas

Queremos, desde já, dar as boas vindas a toda equipe: Maria Amélia Carrera e Rosângela Rodrigues da Silva (missionárias consagradas da Comunidade Epifania); Élia Márcia Vieira da Silva (Dentista). E também os seminaristas da arquidiocese de Vitória:Ricardo Passamani (Médico e seminarista, cursando o 2º ano de filosofia); Evandro Loureiro Sagrilo (cursando o 1º ano de teologia); e Ronaldo Rosa de Oliveira (cursando o 2º ano de teologia). 

Essa equipe prestará atendimentos com enfermeiras, médicos e dentistas às comunidades ribeirinhas no município de Canutama e também nas áreas missionárias de Belo Monte e Foz de Tapauá. 

Queremos pedir a Nosso Senhor Jesus Cristo que passe a frente dessa missão de vocês e que os ajude a levar não só atendimento físico às pessoas, mas sim a Boa Nova do Evangelho que cura e liberta a alma dos filhos e filhas de Deus espalhados pelas margens de nosso Rio Purús.

Deus lhes acompanhe e a Virgem Mãe de Nazaré, mãe dessa Prelazia, os cubra com seu manto de amor e ternura.

TENHAM UMA EXCELENTE E ABENÇOADA MISSÃO!!!

Fontes:
Site da Paróquia Santa Rita de Cássia na Praia do Canto em Vitória

Blog da Província Santa Rita de Cássia

Conversas com frei Nicolás, missionário em Lábrea
e atualmente Prior Provincial da Província Santa Rita de Cássia

Edição: Frei Mason, OAR

 

A prelazia de Lábrea

prelaziaB00 200Outubro, mês missionário
Dia 5 de outubro – dia de Lábrea

A Prelazia de Lábrea foi criada no dia 01 de maio de 1925, pelo Papa Pio XI, com território desmembrado integralmente da então Diocese do Amazonas (hoje Arquidiocese de Manaus).

Foi confiada pela Santa Sé aos cuidados da Ordem dos Agostinianos Recoletos. Atualmente o Bispo Prelado é Dom Jesus Moraza Ruiz de Azúa, O.A.R., desde o ano de1994. Também trabalham como missionários 11 sacerdotes (03 diocesanos e 08 religiosos), 13 religiosos(as) de diferentes congregações. Possui mais de 230.000 km2, com pouco mais de 80.000 habitantes, que são em sua maioria mistura de indígenas, brancos e negros. Atualmente tem aproximadamente 5.000 indígenas espalhados pela mata.

prelaziaB01 200trabalho na marcenaria

As carências mais clamorosas presentes nesta terra são a triste realidade de meninos subalimentados, advindos de famílias desestruturadas, cujas moradias são precárias e, em sua maioria, vivem à margem do desemprego e descaso social, o que contribui de forma relevante para a grande quantidade de adolescentes e jovens em situação de abandono e envolvidos na droga, bebida, prostituição e violência. Há ainda um alto índice de analfabetismo, que junto aos ribeirinhos e indígenas vivem num triste abandono, todos à mercê de um serviço precário de saúde, que se torna ainda mais ineficaz pela quantidade de casos de doenças tropicais como malária, hepatite, além dos remanescentes casos de hanseníase.

Na tentativa de amenizar a situação de subalimentação, contamos com a presença e serviço da Pastoral da Criança, que atende mais de 5.000 crianças de 0-6 anos com suas respectivas famílias. A mortalidade infantil tem decaído muito nestes últimos anos reconhecidamente pela atenção dada por esta Pastoral.

Respondendo à necessidade de melhor atenção à educação, a Prelazia mantém, junto ao governo, 03 escolas as quais atendem aproximadamente 5.000 alunos. E para atender aos adolescentes e jovens abandonados e carentes a Prelazia conta com os Centros Esperança, que mesmo em dificuldades financeiras para manter seus serviços, uma vez que estes são sustentados por doações de benfeitores, ainda assim conseguem atender aproximadamente 700 adolescentes e jovens, nas cidades de Lábrea, Tapauá e Pauiní.

prelaziaB02 650

Grupo geral de jovens que são acolhidos no centro esperança de Lábrea

prelaziaB03 200<  voluntária do projeto atendendo uma idosa em casa

Porém, para atender às necessidades mais urgentes de algumas famílias cada paróquia procura ajudar na reforma e construção de casas (Projeto Terra solidária). As ajudas chegam de amigos e benfeitores do Brasil e, principalmente da Espanha. Atualmente, a maioria das casas se encontra na Cidade de Lábrea (140 casas). Cada uma, custa em torno de 7.000,00 reais; e o nome do doador é colocado na frente da mesma. Todas as famílias atendidas por esse projeto são muito agradecidas a Deus, à Prelazia e a todas as pessoas que fazem suas doações.

Para atender à situação de abandono de ribeirinhos e indígenas contamos hoje com a CPT ou Pastoral da Terra, a Pastoral Indigenista e a Pastoral das curvas (Projeto de evangelização realizado nas comunidades do rio Purus e seus afluentes). A Pastoral da Terra busca dar uma atenção especial aos trabalhadores rurais, organizando suas comunidades, apoiando seus sindicatos e outras organizações, promovendo a preservação de rios e lagos, mediando em situações de conflito, promovendo a geração de renda.

prelaziaB04 650

visão panorâmica de algumas casas do projeto

prelaziaB05 200<  Frei Gustavo durante a celebração eucarística

A Pastoral Indigenista atende em torno de 5.000 indígenas de 11 denominações, pretende apoiar os povos indígenas da região, promovendo sua organização, saúde, educação, auto-sustentação e demarcação de suas terras. A Pastoral das curvas, por sua vez, realiza um trabalho por paróquias, no qual cada paróquia mantêm uma equipe de 03ou 04 pessoas que num barco visitam as comunidades ribeirinhas de seu respectivo território (aproximadamente 50 a 60 comunidades em cada paróquia) animando sua vida, orientando sua organização, incentivando à educação, saúde, etc., e levando, uma vez ao ano, os sacramentos a todos os irmãos. Além destes, há também o Barco hospital “laguna negra” que atende as comunidades ribeirinhas do Rio Purus, dentro do território da Prelazia de Lábrea, desde Pauini até Tapauá, também uma vez ao ano com médico e dentista.

prelaziaB06 650

visão panorâmica do barco onde se fazem os atendimentos

Queridos irmãos, este é um pouco do trabalho que realizamos nesta terra. Gostaríamos de pedir nesse mês missionário as vossas orações por todos aqueles que doam suas vidas nessa grande terra de missão. Devido às muitas dificuldades financeiras que passa nossa Prelazia de Lábrea, gostaríamos de contar com vossas doações para mantermos nosso trabalho de evangelização. Que Deus lhes abençoe cada vez mais e lhes retribua em dobro toda a ajuda à nossa Prelazia e que a virgem Mãe de Nazaré interceda por vós junto ao seu Filho Jesus Cristo.

Missionários – Prelazia de Lábrea

 

 

 Testemunho da missionária Amelinha da Igreja Irmã de Vitória

testemunho00 200Outubro, mês missionário
Dia 5 de outubro – dia de Lábrea


Com o testemunho da missionária Amelinha, a Província abre uma série de publicações sobre as missões da Igreja Católica e da Ordem dos Agostinianos Recoletos na região de missões no Amazonas.

"Meu nome é Amelinha e faço parte da Comunidade de Vida e Aliança Epifania na Arquidiocese de Vitória. Sou consagrada desde 2001 e fiz na Comunidade as promessas de vivencia da pobreza, obediência e castidade, assumindo a vocação do celibato pelo Reino.

Em 2006 nossa Comunidade abriu uma casa de missão na Prelazia de Lábrea, na cidade de Canutama e assim comecei a conhecer e amar mais de perto aos nossos irmãos. Fui duas vezes em missão para encontrar com minhas irmãs que lá estavam morando e participei de algumas formações com as comunidades ribeirinhas.

testemunho01 650

Foram viagens de descobertas: descobri que o rio Purus é o caminho para todas as comunidades, que dele se tira o sustento, que ele dita o ritmo da vida para o povo daquela região. As cheias e vazantes determinam todo o viver das comunidades e também das missões.

Conheci um povo, meus irmãos, que me acolheram com tanto amor, com tanto carinho e uma profunda abertura de coração. O sorriso das crianças cativa; a solidariedade, a partilha e o despojamento, transforma o coração.

Com o encerramento da casa de missão, Deus suscitou uma nova forma de estarmos com o povo que aprendemos a amar.

testemunho03 650

Em janeiro 2007, ao realizar uma visita à Casa de Missão que a Comunidade Epifania mantinha em Canutama, e deparando-se com a precariedade da saúde dos ribeirinhos, a fundadora da nossa Comunidade, Doris Pereira de Almeida, sentiu a inspiração de iniciar um trabalho direcionado especificamente à população ribeirinha através de um Barco Hospital que percorreria a calha do Rio Purus, afim de que esta mesma população pudesse receber atendimento médico e odontológico.

Assim, esta inspiração é partilhada e apresentada a D. Jesus, bispo da Prelazia de Lábrea, que acolheu a proposta, mas também viu as dificuldades para a sua concretização. A partir de então inicia-se o processo de elaboração de um projeto a ser encaminhado a uma Instituição da Itália para aquisição da embarcação.

testemunho04 650

Durante o tramite de aprovação de tal projeto, D. Jesus viaja em férias para sua cidade natal na Espanha, e tem a grande surpresa de encontrar um médico que estava disposto a lhe fazer a doação de um Barco Hospital equipado com um consultório médico e outro odontológico. Percebeu então que o projeto era de Deus, e assim, aceitou a doação do barco. 

Pouco tempo depois, a Comunidade Epifania, ao saber da aquisição do barco, consegue alterar o objetivo do projeto e encaminha à Itália, que prontamente aprova, direcionando a verba para a manutenção e compra de alguns equipamentos que ainda faltavam para implementar o Barco Hospital. 

A Arquidiocese de Vitória colaborou com o projeto com parte da coleta solidária do Projeto Igreja-irmã de Lábrea que aconteceu em agosto de 2013. Recebemos doação de medicamentos e materiais de muitas pessoas. 

E assim, este ano, de maio a agosto, foi realizada a Missão laguna Negra, onde foram atendidas 223 comunidades ribeirinhas e aldeias indígenas com consultas médicas ambulatoriais, emergência e odontológicas. Fizemos também visitas domiciliares, atendimento de oração com celebração da Santa Eucaristia em cada comunidade. Pudemos encontrar e atender mais de 3500 pessoas. 

Dividimos a missão em várias equipes que eram trocadas a cada 15 dias. Cada equipe era composta de médico, enfermeiro, dentista, técnicos da área de saúde, sacerdote e missionários da nossa Comunidade. Também faziam parte da equipe a cozinheira, os pilotos do barco e religiosas da prelazia.

testemunho05 650

Participei da missão entre a cidade de Lábrea e a Foz de Tapuá, foram quinze dias de muita alegria. Alegria da missão, alegria do encontro, alegria da doação, alegria do amor entre os irmãos.

Acolher a cada pessoa que subia no barco, conhecer um pouco de sua história, poder levar um pouco de conforto aos que sofrem, e ao final do dia celebrar juntos a Eucaristia.

Comunidades com muitas necessidades materiais, mas cheias de vida, de amor para partilhar e uma capacidade de acolhimento infinita. Lá tive a experiência dos pobres de Deus. Dos pobres que tudo confiam ao Senhor, que em tudo dependem Dele.

Com eles me alegrei, celebrei a vida, partilhei do que sou e recebi do que são. Em alguns momentos chorei, me emocionei e me entreti. Até joguei futebol em uma comunidade! Quase morro, mas como me diverti!

testemunho02 650

Voltei com o sentimento de que trouxe mais do que levei, recebi muito mais do que dei. E a certeza no coração de que preciso voltar, o ir missionário é fonte de vida. A saudade é grande e o coração anseia pelo novo encontro."

 Amelinha