435 perguntas sobre a Santa Missa – parte 19

435 00 200Igreja & Doutrina
Catecismo da Santa Missa

 

Tendo por base um livro, publicado em 1975,

de um autor anônimo do século XIX,

tudo o que você gostaria de saber sobre a Santa Missa.

 

 Parte 19 - Perguntas de 181 a 190

veja também:

Parte 1: perguntas de 01 a 10

 

Parte 2: perguntas de 11 a 20

 

Parte 3: perguntas de 21 a 30

 

Parte 4: perguntas de 31 a 40

 

Parte 5: perguntas de 41 a 50

 

Parte 6: perguntas de 51 a 60

 

...

Parte 7: perguntas de 61 a 70

 

Parte 8: perguntas de 71 a 80

 

Parte 9: perguntas de 81 a 90

 

Parte 10: perguntas de 91 a 100

 

Parte 11: perguntas de 100 a 110

 

Parte 12: perguntas de 111 a 120

 

...

Parte 13: perguntas de 121 a 130

 

Parte 14: perguntas de 131 a 140

 

Parte 15: perguntas de 141 a 150

 

Parte 16: perguntas de 151 a 160

 

Parte 17: perguntas de 161 a 170

 

Parte 18: perguntas de 171 a 180

 

P181. Que estabeleceu o Sacramental de S. Gregório?
R. O Sacramental de S. Gregório estabeleceu: intróitos, o Kyrie eleison, o Gloria in excelsis, as coletas, o tema da epístola e do Evangelho, as orações para as oblações, o prefácio comum e o cânon até o Agnus Dei, exatamente como o recitamos hoje.

P182. O Sacramental de S. Gregório permitia ainda alguma variedade nas orações acessórias?
R. Sim. Como cada província tinha santos bispos que acrescentavam algo ao acessório do sacrifício, por muito tempo se respeitou esta variedade, pela antigüidade das orações e pela santidade dos seus autores.

P183. Que resultou desta variedade acessória ao sacrifício?
R. Como conseqüência daquela variedade, surgiram os diferentes missais e sacramentais da Igreja romana e das Igrejas particulares do Ocidente. Porém, o essencial do sacrifício para a oblação, a consagração e comunhão, era rigoroso e invariável em todo o mundo cristão, e a regra secundária da liturgia manteve sua variedade até o século XIII.

P184. Que houve nesse século?
R. No século XIII foi fixado o Ordinário da Missa, tal qual permanece em nossos dias.

P185. O Ordinário da Missa manteve algumas variantes secundárias?
P. Sim. O Ordinário da Missa do século XIII manteve algumas variantes secundárias adotadas pelas diferentes dioceses, como, por exemplo, a antífona e o salmo do intróito, no rito romano, não é o mesmo empregado nas outras Igrejas. Porém, esta diferença, tolerada pela autoridade eclesiástica, não prejudicou em nada a unidade essencial da liturgia.

P186. Houve, naquele período, alguma assimilação de orações e cerimônias secundárias entre os diversos ritos?
R. Sim; em especial no que de edificante tinham. Roma, por exemplo, depois de haver extinguido o rito galicano e o rito gótico, da Espanha, não duvidou em deles tomar algumas orações e cerimônias secundárias e inseri-las no Ordinário da Missa.

P187. Naquele tempo, todo o povo dispunha do Ordinário da Missa?
R. Do século XIII ao século XV, o Ordinário da Missa permaneceu em poder do clero. A invenção da imprensa, porém, permitiu maior difusão entre os fiéis.

P188. Além da invenção da imprensa, que outro acontecimento colaborou para maior difusão do Ordinário da Missa entre os fiéis?
R. Foi a Reforma Protestante. A Igreja deu aos seus ritos a mais augusta publicidade, para auxiliar aos leigos a examinar as orações da Missa, visando combater as heresias de Lutero e de Calvino, que negavam, em especial, o caráter propiciatório do divino sacrifício. Ou seja, Lutero e Calvino afirmavam que a Missa era somente a representação da última Ceia, uma cerimônia só de agradecimento e louvor ao Senhor, negando seu caráter fundamental de renovação incruenta do sacrifício do Calvário, estabelecido por Nosso Senhor Jesus Cristo e sempre ensinado e defendido pela sua Igreja.

P189. Houve determinação oficial da Igreja para maior divulgação dos textos da Missa?
R. Sim. Os Concílios de Magúncia e de Colônia, em 1547, determinaram que as orações do Ordinário da Missa fossem explicadas ao povo, mostrando sua unidade em relação às suas finalidades, ou seja, de adorar a Deus, de agradecer-Lhe pelos benefícios recebidos (impetração), e pedir-Lhe o perdão pelos pecados cometidos (propiciação).

P190. Que outra determinação oficial houve para isso?
P. O Concílio de Trento (1570) determinou aos párocos que, nos domingos e dias santos, explicassem aos fiéis as orações da Santa Missa e as fórmulas sacramentais, para instrui-los, não só na verdade dos seus mistérios, mas também no significado das suas orações e cerimônias.

435 01 650 

Baseado em livro de autor anônimo do Século XIX,

publicado em 1975 pela EDICIONES RIALP – Madrid,

NIHIL OBSTAT de D. José Larrabe Orbegozo, Madrid, 27 de outubro de 1975

IMPRIMA-SE: Dr. D. José Maria Martim Patino, Pro-Vigário Geral

Apresentação de Angel Garcia Y Garcia


Fonte: Site Aleteia