435 perguntas sobre a Santa Missa – parte 31

435 00 200Igreja & Doutrina
Catecismo da Santa Missa

 

Tendo por base um livro, publicado em 1975,

de um autor anônimo do século XIX,

tudo o que você gostaria de saber sobre a Santa Missa.

 

 Parte 31 - Perguntas de 301 a 310

veja também:

Parte 1: perguntas de 01 a 10

 

Parte 2: perguntas de 11 a 20

 

Parte 3: perguntas de 21 a 30

 

Parte 4: perguntas de 31 a 40

 

Parte 5: perguntas de 41 a 50

 

Parte 6: perguntas de 51 a 60

 

Parte 7: perguntas de 61 a 70

 

Parte 8: perguntas de 71 a 80

 

Parte 9: perguntas de 81 a 90

 

Parte 10: perguntas de 91 a 100

 

Parte 11: perguntas de 100 a 110

 

..

Parte 12: perguntas de 111 a 120

 

Parte 13: perguntas de 121 a 130

 

Parte 14: perguntas de 131 a 140

 

Parte 15: perguntas de 141 a 150

 

Parte 16: perguntas de 151 a 160

 

Parte 17: perguntas de 161 a 170

 

Parte 18: perguntas de 171 a 180

 

Parte 19: perguntas de 181 a 190

 

Parte 20: perguntas de 191 a 200


Parte 21: perguntas de 201 a 210

 

Parte 22: perguntas de 211 a 220

 

..

Parte 23: perguntas de 221 a 230

 

Parte 24: perguntas de 231 a 240

 

Parte 25: perguntas de 241 a 250

 

Parte 26: perguntas de 251 a 260

 

Parte 27: perguntas de 261 a 270

 

Parte 28: perguntas de 271 a 280

 

Parte 29: perguntas de 281 a 290

 

Parte 30: perguntas de 291 a 300

 

 

P301. Em resumo, a quem podemos oferecer a santa Missa?

 

R. A santa Missa se oferece a Deus, pelos vivos, justos ou pecadores, e, em geral, por todos os que professam a fé católica. (A Igreja não reza especificamente pelos cismáticos, hereges e pagãos, senão na Sexta-feira Santa). Oferecemo-la também para os mortos para que descansem em Jesus Cristo, e por todos os fiéis que padecem no purgatório.

 

P302. A que se refere o termo “material”, objeto do estudo deste §1?

 

R. “Material”, aqui, se refere aos edifícios destinados à celebração do sacrifício da Missa, ou seja, as igrejas, incluindo tudo o que nelas contém para tal, como os altares, e tudo relativo a eles. Neste parágrafo não iremos tratar dos vasos, dos tecidos sagrados, dos ornamentos, do incenso e dos demais objetos do culto.

 


P303. Qual foi o primeiro templo especificamente usado para o sacrifício da Missa?

 

R. O primeiro templo especificamente utilizado para o sacrifício da Missa foi o Cenáculo, lugar “amplo e bem adornado” (Lc 22) para a celebração da Eucaristia, a pedido de Jesus Cristo – Deus.

 


P304. Por que Nosso Senhor exigiu um local “amplo e bem adornado”?

 

R. O mesmo Jesus Cristo, que nasceu num estábulo, pois não tinha onde repousar sua cabeça, e que morreu na cruz, ordenou a seus discípulos que procurassem um local “amplo e bem adornado”, para justificar a majestade e riqueza das nossas igrejas.

 


P305. Qual foi o primeiro altar do sacrifício da Missa?

 

R. O primeiro altar em que se realizou o sacrifício de Cristo foi o Calvário.

 


P306. Nos tempos de perseguição, onde se realizava o sacrifício da Missa?

 

R. Em geral, na época de perseguição dos cristãos, o sacrifício da Missa era realizado nas casas de alguns fiéis privilegiados, ou escondidos em cavernas, bosques, calabouços ou catacumbas.

 


P307. Quando foram construídas as primeiras igrejas para a celebração solene e pública do sacrifício da Missa?

 

R. Logo após o término das perseguições foram construídas as primeiras igrejas para a celebração pública da liturgia da Missa, em honra do verdadeiro Deus. Posteriormente, em todas as partes, a piedade e arte de cada século contribuíram para a grandeza e riqueza das construções, sempre erigidas, fundamentalmente, para a celebração do sacrifício da Missa.

 


P308. Dentre os diversos estilos arquitetônicos das igrejas, qual foi o mais significativo quanto à piedade e grandeza devidas a Deus?

 

R. Foi o estilo gótico que consagrou a Deus suas majestosas catedrais, com suas elegantes cúpulas e formas grandiosas. Também os elevados campanários nas pequenas aldeias, rompendo com graça a uniformidade da paisagem, anunciavam por toda parte o tabernáculo de Deus entre os homens.

 


P309. A construção das igrejas seguia alguma regra específica?

 

R. Sim; seguia uma tradição específica, conforme o testemunho do autor das “Constituições apostólicas”.

 


P310. Que recomendava aquela tradição referente à construção de igrejas?

R. Havia uma série de recomendações quanto:
A – a forma: que deveria ser ampla e semelhante a uma nave — daqui vem o nome do corpo principal do templo;
B – a orientação: deveria estar voltada para o Oriente — origem da luz, simbolizando Nosso Senhor, Luz do mundo;
C – a sacristia: ao lado do altar, onde se colocariam os objetos do culto, incluindo os paramentos litúrgicos;
D – a cátedra, ou sedia, do bispo: localizada no fundo da catedral, com os assentos para os sacerdotes à sua direta e à sua esquerda;
E – o altar: no meio do santuário, como são vistos nas igrejas românicas;
F – o santuário: fechado por uma balaustrada;
G – a frente do altar: local para os clérigos menores, seguidos dos fiéis, onde havia o púlpito para as leituras e sermões.

435 01 650 

Baseado em livro de autor anônimo do Século XIX,

publicado em 1975 pela EDICIONES RIALP – Madrid,

NIHIL OBSTAT de D. José Larrabe Orbegozo, Madrid, 27 de outubro de 1975

IMPRIMA-SE: Dr. D. José Maria Martim Patino, Pro-Vigário Geral

Apresentação de Angel Garcia Y Garcia


Fonte: Site Aleteia