A vocação cristã

vocristacristo2gif

Ao decidir seu futuro,
lembre-se de perguntar
a Deus que planos 
Ele tem para sua vida.

Seja qual for sua vocação,
Ele precisa de você.

 

Não perca tempo, 
mas também não se precipite!

 

Reze com perseverança;
Informe-se com disponibilidade;
Decida-se com generosidade.

Cristo é o Caminho, a Verdade, a Vida.

 

O Evangelho nos convida a refletir sobre um tema de capital importância para todos nós - é o tema referente à vocação dos apóstolos, lembrando que, do mesmo modo que os apóstolos, fomos, também nós, escolhidos por Cristo, com singular predileção, para sermos testemunhas da fé e mensageiros da salvação.

 

Cumpre ter sempre presente que ninguém elege a si mesmo para exercer a missão profética. É sempre Deus quem toma iniciativa. Assim nos mostra São Marcos:

 

"Deus chamou aqueles que Ele queria. Eles foram até Ele, e constituiu doze para estarem com Ele e para os enviar a pregar" (3,13).
 

A vocação cristã é um impulso forte no mais íntimo do nosso coração, que nos impele a buscar Cristo como alguém fundamental para plenificar nossa vida. É tê-lo como imprescindível para nós de uma maneira tal que se torna impossível viver sem Ele.

 

Dada a importância deste tema da vocação, todos os evangelistas fizeram referência a respeito dele. Foi, porém, São João quem mais enfatizou que nas primícias deste chamado todos nós estávamos incluídos, porque todos nós, em virtude de nossa condição batismal, somos discípulos de Jesus de Nazaré. Não podemos, pois, jamais perder de vista que Ele é nosso Mestre por excelência.

 

O primeiro encontro, aquele que marcou o início do Colégio Apostólico, se caracterizou pela simplicidade:

 

"Mestre, onde moras?"
 

Ele lhes respondeu:

 

"Vinde e vereis".
 

Eles foram, diz João evangelista, e passaram com Ele todo aquele dia. O conteúdo da conversa, que eles mantiveram com o Mestre, não foi revelado. O certo é o compromisso, que eles assumiram, de ficar para todo o tempo na companhia de Jesus. Não quiseram também ser os únicos a se beneficiarem das maravilhas deste encontro. Foram logo comunicar essa maravilha aos seus companheiros mais íntimos:

 

"Nós achamos o Messias",
 

disse a Pedro, seu irmão. Assim também os outros alardearam tão auspiciosa notícia. Filipe fala a Natanael e João corre para dizer a seu irmão Santiago. Foi esse zelo de discípulos, fazendo outros discípulos, que em pouco tempo formou o grupo daqueles que foram seguir Jesus com toda a disponibilidade...

 

O grande ensinamento, que temos nesta passagem do Evangelho, é que a vocação cristã exige experiência de um convívio com Cristo. Os vocacionados foram,

 

"viram onde Jesus mora e permaneceram com Ele".
 

Outro ensinamento é a dimensão apostólica da vocação assumida. Não ficaram contentes de penas se beneficiarem do rico convívio com o Mestre. Este zelo apostólico caracterizou os primeiros cristãos. O ardor com que eles amavam a Cristo os impelia a fazer com que também outros O amassem. Tornou-se clássica nos primeiros séculos do cristianismo a frase.

 

"O cristão, que não é apóstolo, é apostata da fé".
 

A vocação cristã, pessoal e intransferível não pode deixar de ser também expansiva. São Pedro nos faz ver que

 

"ser cristão é dar vazão às nossas esperanças".
 

Mostrou-nos assim que ser cristão é comunicar Cristo, pois n'Ele está o centro de tudo o que esperamos.

 

"Se amamos a Cristo, dizia Santo Agostinho, não podemos ficar sossegados enquanto não fizermos com que também outros amem a Cristo".
 

Se quisermos, pois, que nossa vida de cristãos seja autêntica, não podemos deixar de imprimir nela um ardoroso espírito apostólico, à semelhança do que fizeram os primeiros cristãos.

 

Frei Cândido Cintra, OAR,
agostiniano recoleto da
Província Santa Rita de Cássia.

 ...

 

 

 

 

Cristo
nos
escolheu
com 
singular
predileção.

 

.

.

.

 

Cristo
é
nosso
mestre
por
excelência!

 .

.

.

 

A
vocação
cristã
exige
experiência
de 
um
convívio
com
Cristo.

.

.

.

O
encontro
com 
Jesus
se
caracteriza
pela 
simplicidade

 .

.

.

Toda
vocação
tem
uma
dimensão
apostólica

.

.

.

 

"Se
amamaos

Cristo,
não
podemos
ficar
sossegados
enquanto
não
fizermos
com 
que
também
outros 
amem

Cristo"

Santo
Agostinho